segunda-feira, 15 de novembro de 2010

HISTÓRIAS DE MOCUBA

Este espaço estava destinado ao relato de histórias que os camaradas quisessem contar sobre a sua estadia em Mocuba. Pelos visto ninguém se lembra de algo interessante que possa ser partilhado por todos. Não é natural esta situação dado o facto de termos estado bastante tempo no distrito de Tete quase sem contacto com a civilização e desde que assentámos arraiais em Mocuba, mais ninguém se importou com mais nada, o importante era disfrutar aqueles poucos meses que faltavam para o regresso.
Pela minha parte vou iniciar por uma pequena história que me ocorre agora, pedindo naturalmente desculpa se por qualquer lapso de memória o relato não for o mais preciso, mas certamente compreenderão, a memória já não é a mesma e o tempo também se encarregou de esfumar algumas lembranças.

Estávamos em Outubro de 1972 e no quartel de Mocuba como era hábito haviam serviços indispensáveis a serem feitos. Um deles era a vigilância nocturna, que era feita em Unimog 401, sem qualquer protecção de resguardo ao frio nocturno. Naquela noite era eu que estava de serviço e quando me foi dito que o meio de transporte era o dito Unimog, nem queria acreditar. Íamos passar a noite toda ao relento? De manhã certamente estaríamos todos encolhidos e cheios de frio. Lembrei-me então que o 2º comandante Major Vicente tinha um Jeep atribuído e que durante a noite estava parado, sem utilização. Fui falar com ele se havia alguma hipótese de o Jeep ser utilizado na ronda nocturna visto ter cobertura em lona. O Major Vicente disse logo que sim, mas com uma condição, de manhã o Jeep tinha de estar no mesmo local. Assim foi acordado. Desta forma pudemos a partir daquela altura executar um serviço de vigilância em melhores condições e mais silencioso. Percorríamos a cidade de lés a lés, pois a hora do recolher tinha de ser respeitada (22 horas). A horas marcadas préviamente tínhamos de estar em frente da casa do Comandante do quartel, de outros oficiais e sargentos, que habitavam nas residencias a eles destinadas.

Antero Ferreira (comentou)
Olá Vitor Pessa. Estive em Mocuba até Agosto de 1974, desde Janeiro de 1973. Era do STM e estava na caserna, quem entrava no quartel do lado direito junto ao arame farpado. Mando umas fotos onde penso que estão membros do vosso batalhão. Lembro-me do Mouraria e outros, mas já não sei os nomes. Obrigado.



Na primeira foto estou com o m/cão que se chamava Leão. Na seguinte eram os colegas do Stm. Telegrafistas e Operados de Telex. Na terceira era o espaço onde estava instalado o Stm. Na ultima foi uma passagem de ano na associação de Mocuba, onde o puto era filho do Major Graça.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O BCaç 3843 agradece o comentário.